domingo, 14 de dezembro de 2014

Impregnando os Mancais...

Como a impregnação é uma nova experiência, lembrarei aos amigos seguidores, mais uma vez, que sou totalmente inexperiente nesse lance de madeira, colas, etc.... meu negócio é outro (Tecnologia da Informação)... 

Dizem que isso é uma construção amadora, como se 'amador' fosse inexperiente, eu acho que amador é o sujeito que não é profissional, que não dispõe de todo aparato profissional, portanto me classifico como um nível abaixo de amador: Zé-Ruela.

Faço questão de deixar isso bem claro porque muita gente desiste da construção do seu barco mas estatisticamente não existe um catálogo de motivos que levem a isso e aqui quero deixar registrado todas as minhas impressões sobre essa empreitada.

O sucesso, ou melhor: o não abandono, está relacionado a muitos fatores, dois deles são primordiais: a grana (ou a falta dela); e o tempo. Contudo alguns ingredientes são indispensáveis para que as coisas andem afinadas e os dois fatores citados aqui sejam mais suportáveis, quais sejam: a definição de etapas; a evolução dos trabalhos; o resultado obtido nas etapas; a limpeza do ambiente (não dá pra fazer alguma coisa em paz com a dona da pensão enchendo o saco o tempo todo); o nível de aprendizado obtido pelas etapas anteriores e outras mais que certamente descobrirei até o final dos trabalhos.

Enfim, essa etapa é nova (impregnação), totalmente desconhecida e aqui vai a minha experiência...

Construí os mancais em duas metades e terei que fazer esta impregnação porque se eu fechar o mancal não terei como garantir uma boa impregnação interna e essa peça certamente receberá água. Serão duas demãos de impregnação, outras demãos são totalmente desnecessárias, elas poderão servir para um acabamento mais aprimorado mas não impregnará na madeira - objetivo a ser alcançado aqui.

Após a laminação, lixei (utilizei lixa 60, relativamente grosas) as peças e isolei as partes que serão coladas com fita adesiva larga.




A seguir misturei a resina na proporção de 5:1...


Aqui vão algumas experiências novas:

a) No início dos trabalhos estava utilizando um medidor graduado e não funcionou muito bem, agora estou utilizando esses copinhos transparentes pra cafezinho. Quando for fazer grandes quantidades o medidor graduado poderá ser reutilizado, mas pra pequenas quantidades é totalmente improdutivo.


b) O cheiro desta resina é forte e desagradável, portanto não há como manuseá-la sem a utilização de máscaras. Ela é bem mais líquida que a cola. O tempo de manuseio é de no máximo 15 minutos, portanto não dá pra fazer grandes quantidades.

c) Para aplicação da cola utilizei uma espátula de aço...


Agora (com esta resina) farei a experiência com umas espátulas plásticas. Poderia utilizar rolos, mas área é muito restrita e o rolinho é muito caro (R$ 8,00), enquanto que a espátula custa R$ 1,50.


Apliquei a resina...




A resina escorre muito provocando uma lambança danada... na próxima demão colocarei um plástico pra aliviar a melação.

Dá pra observar que o local isolado ficou protegido...


Após cada tarefa tenho sempre o cuidado de manter tudo muito limpo, sopro as ferramentas, o assoalho, lavo as luvas, descarto todo material utilizado... faço isso não apenas pra colocar as coisas em ordem evitando as broncas da dona da pensão - estou fazendo esse tralho na garagem e a Kaká (minha esposa, dona da pensão) não perdoa, escreveu, não leu, o pau come - mas também porque o meu povo (esposa, filhos e netos) é alérgico a tudo.

Coloquei a espátula num recipiente com água, como faço com a espátula de aço, pra lavar depois de algum tempo.... vou ver se esse método de limpeza funciona bem ou se terei que descartar a espátula plástica.

Algumas horas depois...

O acabamento não ficou bom... não acredito que tenha sido por excesso de poeira no local, é mais provável que tenha sido por conta da primeira demão...


Lixei (utilizei lixas P-80) bastante para aplicação da segunda demão...



O acabamento ficou legal, soprei e passei um pano úmido pra tirá o excesso de pó...



A seguir apliquei a resina na mesma proporção 5:1...



Algumas horas depois...

O acabamento ficou uma merda... grosso, como se a resina não espalhasse direito... uma verdadeira bosta. Talvez não esteja sabendo utilizar o acessório correto para a aplicação (pincel, espátula plástica). 


Vou lixar mais uma vez, dar uma pesquisada no youtube e aplicar uma terceira demão. Detalhe: tenho certeza que o objetivo - IMPREGNAÇÃO - foi alcançado com sucesso, o problema é com acabamento.

Andei pesquisando no youtube e acho que aprendi... para dar um acabamento uniforme, sem bolhas, o sujeito soprou com ar quente. O resultado ficou perfeito. No meu caso não vou fazer isso porque a superfície é muito pequena e perderei muito tempo fazendo em uma das faces e depois fazendo em outra (uma é perpendicular a outra). Como o objetivo aqui é a impregnação e eu tenho certeza que esta ficou perfeita, vou fazer o fechamento do mancal.

Fechando os mancais...




O próximo passo é fazer o mancal da cana de leme...

Falha minha...

Cometi alguns erros na construção desta seção e, embora não prejudicassem em nada a estrutura da embarcação, resolvi fazer outra... o problema é que quando uma coisa não começa bem, possivelmente não concluirá bem. Deixa eu explicar:

1. Na segunda demão da impregnação, fiz uma quantidade de cola igual às demais mas do nada a cola esquentou a ponto de queimar minha mão - inclusive usando luva. Não sei se demorei muito tempo manuseando, se misturei quantidades diferentes, se não homogeneizei os componentes adequadamente, não sei... não lembro... no momento do aquecimento separei um pouco da resina e fiz um teste de resistência e tudo ficou legal... 

2. Mais adiante inverti a posição de fixação dos mancais na seção...



3. Depois fiz outra pequena merdinha - uma bufinha - que nem me lembro mais.

Todo mundo conhece a lei de Murphy:  "Se existe mais de uma maneira de uma tarefa ser executada e alguma dessas maneiras resultar num desastre, certamente será a maneira escolhida por alguém para executá-la"... eu não ia conseguir conviver com esses pequenos problemas toda vez que olhasse para aquela seção, então - NOVA PEÇA.

Fiz tudo conforme o figurino e está tudo bem, inclusive com a minha consciência - as técnicas foram as mesmas empregadas acima.














12 comentários:

  1. Creio que o Emilio pode te ajudar nessa fase.
    O email dele ė cprpesca@hotmail.com
    Ele sabe muito sobre esse assunto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado... vou manter contato com o Emilio...

      Excluir
  2. O blog dele ė catamaram-mas.blogspot.com.br
    Da uma olhada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Andei vendo no youtube algumas dicas e vou testar...

      Excluir
  3. Gostei da bufinha.
    Ainda bem que não custa muito fazer outra peça nova.
    Abraço.
    Joaquim - esqueci de assinar os dois comentários acima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabia que era vc...
      A bufinha foi pra sair do estresse...

      Excluir
  4. Olá Jovito, parabéns pela escolha. Meu nome e Reginaldo, moro em MACEIO, e também to nessa empreitada, construindo o POP 25. O "estaleiroa" e no interior, depois de Delmiro, onde tenho uma criação de tilápia. Já tem 01 ano que comecei e ainda estou na 5ª antepara, ta bem devagar. Onde vc fica ai em Arapiraca? qualquer hora dou uma passada ai. meu telefone: 75-91410765. (um pessoal dai compra muito peixe meu)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa Reginaldo, bom saber que tem alguém por perto pra trocar ideias.

      Quando vc estiver em Arapiraca me ligue 82 88758716, a gente se encontra e eu mostro o que estou fazendo, se bem que não tem muito o que ver além do que estou postando.

      Sair das anteparas eu acho que seja o mais difícil... provavelmente ainda passo uns 30 dias nelas, antes de montar o picadeiro. A próxima fase é dar um acabamento primário - impregnar. Já comecei a lixar e amanhã acabo.... depois das festas de final de ano, começarei a impregnar pra montar o picadeiro.

      Qual madeira você está utilizando?

      Excluir
    2. Olha Jovito, to utilizando o compensado naval que encontro aqui na praça, (madeiras do brasil), e a madeira pra colagem e o louro canela, a única que encontro aqui no sertão, acho que da pra ir levando, não e muito dura, e leve e dizem que e muito boa, depois de impregnada acho que fica tudo bem. to sempre passando por ai, logo te dou um alo pra gente bater um papo e quem sabe trocar umas ideias. acho que vc vai me ajudar muito, pois sou totalmente leigo no assunto.(prometo que não vou tomar muito seu tempo. Já estou me sentindo mais seguro e confiante, sabendo que alguém tao perto esta no mesmo "barco".

      Excluir
    3. Vem pra cá pra gente conversar e tomar uma cervejinha, afinal ninguém é de ferro.
      Antes de vir me avise que estou querendo comprar um pouco dessa madeira (louro canela), então se houver alguma possibilidade de você me trazer eu agradeceria... ou então eu vou até aí buscar e a gente papeia do mesmo jeito.

      Excluir
  5. To indo pra Maceió em março. Se der vou visitar os dois.
    Aproveito e compro umas tilápias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joaquim, quando vier me avise que você ficará hospedado aqui comigo..

      Excluir